Universidade Johns Hopkins (EUA) deixou de usar porcos em curso de Medicina

0

Em 2016, a Faculdade de Medicina da Universidade Johns Hopkins, uma das mais conceituadas dos EUA, encerrou o uso de animais no treinamento de estudantes. Eram usados porcos vivos durante disciplinas focadas em cirurgia. Audrey Huang, porta-voz da Hopkins, afirmou: “Examinamos os prós e os contras, e os alunos decidiram que o uso de animais não era absolutamente necessário “. A decisão que acabou com a prática de fazer incisões no abdômen de porcos e na inserção de endoscópios. Os animais eram mortos após os procedimentos. John Pippin, Dr.D e diretor de assuntos acadêmicos no Comitê de Médicos para a Medicina Responsável, declarou: “Simplificando, os porcos e os humanos não possuem a mesma anatomia. Os alunos são melhor treinados para suas carreiras em medicina com tecnologia avançada e relevante para o homem – não com animais vivos “.

 

Compartilhar

Deixe um comentário