CPI de Maus-Tratos Contra Animais de SP convoca Unesp e Unicamp para os dias 12 e 13 de dezembro

0

É hora dos protetores e ativistas se unirem! São Paulo pode estar bem perto do fim de uma das maiores crueldades contra os animais: o uso de cobaias no ensino, ou seja, em salas de aula (não na pesquisa). Essa pode ser a última chance de cães, gatos, porcos, coelhos, ratos e outros animais serem libertados das torturas em diversas universidades.

Depois de ouvir a USP, a CPI de Maus-Tratos Contra Animais da Assembleia Legislativa de SP convoca agora a Unesp, por meio do professor doutor José Roberto Bosqueiro, da Faculdade de Ciências da Unidade de Bauru e a Unicamp, representada pelo professor doutor Wagner José Fávaro, do Instituto de Biologia para os dias 12 e 13 de dezembro, respectivamente.

Protetores, ativistas, professores e estudantes estão convidados para assistir a discussão sobre o uso de cobaias no ensino que, durante os dois dias, acontece às 11h, no Auditório Teotônio Vilela, na Av Pedro Álvares Cabral, 201, 1º andar, no Parque do Ibirapuera.

A presença do público é fundamental para demonstrar o interesse da população no fim desse sofrimento que é um dos mais brutais aplicado pelo homem aos animais.

Em pleno século XXI torna-se inadmissível o uso de cobaias no ensino, uma vez que uma infinidade de métodos substitutivos já foi desenvolvida possibilitando muito mais treino e, consequentemente, muito mais destreza e segurança aos alunos de Medicina, Medicina Veterinária, entre outras disciplinas.

Panorama mundial e brasileiro

Várias universidades no Brasil já deixaram de usar cobaias no ensino como a Faculdade de Medicina do ABC, FMU (Faculdades Metropolitanas Unidas), Anhembi-Morumbi, FAM (Faculdade das Américas), Universidade de Guarulhos, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Universidade Federal do Tocantis, Faculdade Metropolitana de Manaus e Universidade Federal de Pernambuco.

Segundo o Comitê de Médicos para a Medicina Responsável (com sede em Washington e 12 mil médicos associados em todo o mundo), das 202 faculdades médicas existentes nos EUA e Canadá, mais nenhuma usa cobaias em aulas práticas desde 2016. No  QS World University Rankings 2016-2017, que mede anualmente a qualidade do ensino universitário no mundo, as três primeiras colocações são MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts), Stanford e Harvard – universidades americanas que não fazem uso de cobaias em seus cursos de Medicina.

 

 

Compartilhar

Deixe um comentário