A professora Odete Miranda conta como foi que a Faculdade de Medicina do ABC deixou de usar cobaias

2

A cardiologista Odete Miranda relata como foi o processo para terminar com o uso de cobaias na Faculdade de Medicina do ABC há dez anos. Ela própria ficou com um cãozinho que perambulava pela universidade e que seria uma das vítimas da vivissecção. A professora também mostra inúmeros métodos alternativos nessa palestra, gravada durante a audiência pública “Uso de animais vivos no ensino: ainda é necessário?”, ocorrida em dezembro de 2016 na Assembleia Legislativa de SP e promovida pelo deputado estadual Feliciano Filho, autor do PL 706 ou Lei Anticobaias no ensino.

Compartilhar

2 Comentários

  1. Além de ser crime….ainda é um ato de crueldade desmedida….afinal existem outros meios para ciência testar qlqr produto.
    E isso não garante 100% q fará o msm efeito em humanos.
    Países q usam animais em laboratório;São países atrasados.

    • mm

      Raquel… vc tem toda a razão. Mas o uso de cobaias é totalmente desnecessário tb no ensino (nos cursos de medicina, biologia, veterinária etc) e nessa palestra da professora Odete Miranda ela conta que os estudantes de Medicina se sentiam muito incomodados em ter que abrir um cachorro ou rato só para ver os orgãos em funcionamento, sendo que já existem muitos outros métodos de se estudar os corpos de humanos e de animais. A Faculdade de Medicina do ABC não utiliza mais animais em salas de aula há dez anos.

Deixe um comentário